sábado, 14 de outubro de 2017

O galã Anselmo Duarte comemora seu aniversário em Caxambu




Ah, mas vocês não são desta época, mas muitos conheceram o galã de cinema Anselmo Duarte (1920-2009). E mais ainda, ele comemorou o seu aniversário em Caxambu, mais exatamente na piscina do Parque das Águas, palco para a festa regada a coca-cola e salsicha com queijo e azeitona no palito (foto). Vê-se ao fundo a silhueta do Trampolim, que foi desaparecendo ao longo das décadas (foto). Anselmo foi um dos maiores galãs do cinema brasileiro, e também escritor e diretor de cinema, chegou a ganhar a Palma de Ouro no Festival de Cannes, em 1962, na França, com o filme O Pagador de Promessas. Ele veio à Caxambu para o 5° Festival de Cinema que aconteceu, no Cinema de Caxambu, no ano de 1956.

E nada mais nada menos estavam lá as moçoilas da cidade para cantarem o parabéns pra você, e... tietar. Como se vê, a bela morena Genoveva de Melo, à esquerda, entre deslumbramento e timidez frente ao bonitão, que infelizmente já era comprometido, casadésimo com Ilka Soares, que não compareceu ao evento por estar grávida.  No centro estava outra atriz famosa, Marlene atacando os quitutes servidos pela atleta Mariazinha Magalhães, minha professora de educação física, nos anos 70, no ginásio Polivalente, e ao fundo, só sorrisos,  Cidinha Paganelli.

Genoveva era atleta gostava de jogar volley. Participei de muitas partidas com ela, na quadra do Parque das Águas. Era uma excelente jogadora! A Mariazinha era uma das moças  mais "avançadas" da cidade, daquelas independentes, dona do seu nariz, como dizíamos, citada por Janice Drumond, a nossa vizinha de frente em suas memórias. Já Aparecida Paganelli, conhecida como Cidinha Paganelli, foi ativa na política, chegando a ser secretaria de Turismo de Caxambu, nos anos 60. Não me esqueci do episódio contado por meu pai, José Ayres, presente num dos comícios, ali na Rua da Palha, indo em direção ao cemitério, onde montaram um palanque. No exato momento em que Cidinha discursava:  "- Queremos água, água para Caxambu!".  Então céus ouviram seu apelo e São Pedro mandou ver, digo, chover. Desabou um temporal, dispersando o povo, que saiu em desabalada correria em todas as direções, pondo fim ao comício político. A água que ela queria dizer era água encanada para a cidade.
Ah, tudo só porque queríamos anunciar o niver de Anselmo que completava, na época, suas 36 primaveras em 21 de abril.
(clique aqui e leiam a história completa do Cinema de Caxambu)
Fonte:
Revista, Vida Doméstica
Revisao :
Paulo Barcala

Nenhum comentário:

Postar um comentário