domingo, 16 de julho de 2017

Preserva , conserva, restaura Caxambu / Que tal pensarmos em salvar a história arquitetônica de nossa cidade?



O medo que sinto quando volto a Caxambu é de que eu não mais a reconheça  e que a cidade tenha ganho mais um arranha-céu. Ufa, olho o Casarão Guedes e ele ainda esta lá. Ele é um presente à cidade, preservado pela família. Este é o grande exemplo a ser seguido pelos proprietários privados, ou quem adquirir imóvel com estas características. Não pensar somente em mais um prédio e no lucro que dará com a venda de salas e apartamentos, mas pensar que a cidade continue mantendo suas características e preservando a sua memória. 

Se ha centenas de leis regulamentando a ocupação do solo, ha também sempre aqueles que conseguem dar a volta, se associar a um politico, e zás! Lá se foi o terreno que poderia ser transformado em parque, área verde. Os antigos casarões, que só de sonharem com o tomamento pelo Patrimônio Histórico, tombam literalmente, da noite para o dia, senão na calada da noite, pelas mãos armadas de marretas, apagando história das cidades. Porquê será que Ouro Preto, Mariana, Congonhas levam milhares de turistas a visitá-las? E a Europa que atrai milhões de turistas anualmente? Exatamente pela beleza de sua arquitetura. Então, conclamamos os proprietários privados, os administradores, empresários de boa fé a preservarem a história de Caxambu. Estes belíssimos testemunhos e alguns outros ainda estão de pé. Ainda é tempo. Preserve-os.
Fotos: 
Solange Ayres
Graça Pereira Silveira, escadaria do Casarão dos Guedes

2 comentários: