sábado, 15 de julho de 2017

ZYC-2, A Radio Caxambu e sua história / Ruth Freitas X Ivon Curi

A primeira transmissão radiofônica no Brasil aconteceu, no dia 7 de setembro de 1922, na exposição comemorativa dos 100 anos da Independência, no Rio de Janeiro, mas somente nos anos de 1930 é que o Governo deu atenção ao meio de comunicação. O radio desempenhou papel importante na considerada Era Vargas, período compreendido entre 1930-1945. Vargas tinha como objetivo transformar o radio como meio de comunicação de massas e assim utiliza-lo como propaganda dos feitos de seu governo, mas também como forma de controle de informações. E neste contexto, é inaugurada a Radio Caxambu.

A Rádio ZYC-2 nos seus primórdios / Os famosos Curis

Em janeiro de 1942, a ZYC-2 inaugurava oficialmente suas atividades. O locutor? Jorge Curi, que se tornou uma legenda, no Brasil, como locutor esportivo. O jovem Jorge fazia seus comentários de futebol, no alto falante do cinema e num domingo de outubro de 1941, ao ler no microfone do mesmo cinema, uma crônica de sua autoria, despertou a atenção do presidente da ZYC-2, Dr Lysandro Guimarães e do superintendente Arnaldo Maia, que o convidou para um "test" e ocupar o posto de locutor da emissora. Não deu outra. Ele permaneceu lá, ainda sem contrato, até 10 janeiro, quando foi inaugurada oficialmente a Radio Caxambu. Por sorte se afasta voluntariamente o locutor Olavo Pimenta,  surgindo a oportunidade de Jorge assumir o microfone. O trabalho o levou a fazer transmissões ao vivo, nos locais mais diversos como do Cassino Gloria, mas também nas cidades vizinhas, como em Campanha, numa exposição filatélica durante oito dias! Imaginem leitores, uma rádio manter a atenção de seus ouvintes oito dias falando de selos, coleções, raridades? Uma de suas recordações foi a reportagem no interior do Colégio Sion, que teve muita repercussão, pois era quase impossível a permissão da entrada de estranhos e ainda mais solteiros no auditório da instituição. O jovem tinha talento! A Radio Caxambu foi o primeiro e importante degrau para sua carreia. Ele nunca esqueceu disso e sempre repetia em suas entrevistas, ajudando assim a divulgar  nome da cidade. Mas outros dois irmãos também tiveram suas carreiras iniciadas na Radio Caxambu. Alberto Curi também seu tornou locutor e o irmão mais novo, o Ivon Curi, que com 10 anos já ensaiava nos microfones da emissora. Numa reportagem o Jornal das Moças escrevia: "O Ivon passava o dia cantando." Ah!...

Música, política, futebol, tenis, palestras...

A cidade tinha no ano de 1947, 400 aparelhos de rádios registrados para uma população de 7.000 habitantes. Um rádio para quase 18 pessoas. A programação era diversificada e digamos... eclética. Mas não se enganem que a radio só tocava música. Ela foi também instrumento para fazer política, no Governo de Getulio Vargas. Não foi à toa  que a filha de Benedito Valadares, foi escolhida para ser a "madrinha" da rádio. Valadares era poderoso aliado de Vargas e foi nomeado para ser o interventor/Governador de Minas Gerais, entre 1933 a 1945.

A ZYC-2  prestava serviços de utilidade pública e a criatividade dos seus diretores e jornalistas é hoje para se admirar. Os programas: Hora da Arte, de 1942, transmitida dos estádios e ali da pracinha, aos domingos, às 19 horas, ou a Hora Educativa,  por exemplo, uma programação do ano de 1943, com transmissão ao vivo do... Ginásio Santo Inácio, em Baependi, cidade que teria a sua rádio somente, em 1951. Pelo menos numa coisa Baependi ficou atras de Caxambu, porque hospital ela ja tinha construído, em 1881. A Rádio também esteve presente, em 1943, nas comemorações da cidade no Dia da Juventude, quando participaram todas as instituições de ensino e, oportunamente, foi também... comemorado o  aniversario do presidente Vargas. Outra. Em 1943, Jorge Niman, académico de direito, para o qual a Radio entregou a sua direção, instituiu o Jornal do Veranista. Aqueles que visitavam a cidade expunham no microfone aberto suas opiniões e louvores à terrinha:

"Si alguém puder entrever esse mapa, nele encontra, sem dificuldade, CAXAMBU e o seu céu azul-porcelana, servindo de fundo, à hora do poente, ao recorte de seus morros, ao seu Cruzeiro, à silhueta elegante da Igreja de Santa Isabel. Ali se hão de ver suas paisagens luminosas, as árvores, as flores, os pássaros, a fontes e toda a alegria louca do seu Parque magnífico." discursou Carlos da Silva Araújo.

Não temos palavras. A Radio estava presente e transmitindo ao vivo tudo que acontecia na cidade. Em  1943, estava presente na comemoração do centenário de nascimento do dr Policarpio Rodrigues Viotti. É, lembrar dos benfeitores da cidade fazia parte das festividades da cidade e a Radio contribuiu para que Caxambu não esquecesse deles. Ela também fez-se presente na inauguração da agencia do Banco União Mercantil, ali na praça 16 Setembro, em um frio dia de maio, em 1944. Todas autoridades, políticos fizeram seus pronunciamentos, inclusive o Padre João de Deus, bem como inauguraram, na agencia o retrato do... presidente Getulio Vargas. E claro, cobertura completa da inauguração da Praça de esportes Rangel Viotti, em 1944. Este campo de futebol foi palco para os treinos de várias seleções, em diferentes épocas e acompanhados com grande interesse pelos ouvintes. E sob o patrocínio do Vinho Reconstituinte Silva Araújo e da Cervejaria Brahma, foi transmitido, às 22 horas, no ano de 1946, numa "rede gigante" de alto-falantes, o jogo Brasil x Uruguai. 25 desses auto falantes foram espalhados pelo  Brasil, comandados pela Radio Nacional, um deles e conjunto com a... Radio Caxambu.

Mas nem tudo era futebol.  Na cidade foi realizada o Campeonato Aberto de Tênis do Interior do Estado de Minas Gerais (foto), que aconteceu nas quadras de tênis do Parque das Águas, organizado pela Federação Mineira de Tênis, transmitido ao vivo, e em conjunto com a Radio de Poços de Caldas, a PRH-5. Imaginem que para a época era um desafio técnico as transmissões, comparadas hoje com os recursos dos telefones celulares, que transmitem os acontecimentos em som e imagem em tempo real. O rádio era a revolução.

Zé das Moças e a Hora do Angelus

E aqui como o nosso Blog é totalmente interativo, acrescentamos as colaborações de Antonio Claret Maciel Santos que nos ajuda com suas lembranças. Aos domingos, na parte da manhã, no final da década de 50, havia um programa no auditório da Radio, comandado pelo popular "Zé das Moças", com distribuição de brindes. E para fechar o dia, havia o "Hora do Angelus", ou a hora da Ave Maria, evento diário da Igreja Católica e se não nos enganamos, o locutor era o Jair Motta. Com tanta diversão e arte, alguma hora a cidade tinha rezar.

Outra leitora se manifestou, a Sonia Valente. O seu Zé das Moças era o melhor amigo de seu tio, o Ieca, e quase todos os dias ele perguntava nos microfones da Radio: "-E ai menina linda, do Sô  Leca, que cor é hoje?". Sonia tinha muita vergonha de ver sua calcinha aparecer. Naqueles tempos as meninas usavam saias e muitas anáguas, daquelas para "armar" a roda dos vestidos. Imaginem a menina ser chamada assim no ar? Ai seu Zé!

Ruth Freitas vervus Ivon Curi


E como não podíamos ficar sem dizer como e porquê e a Família Ayres/Pereira/Silveira estaria aqui escrevendo a história da Radio. Bem, conta-se na família que Ruth  de Freitas (foto) filha de Geralda Freitas/Pereira e José Eugenio Pereira, neta de Maria José Ayres/Freitas e Ramiro Rodrigues Freitas e bisneta de José Fernandes Ayres, o Trançador-pai, ficou com o primeiro prêmio, num número musical, nas comemorações do aniversário da cidade, nos idos dos anos de 1944, contra... Ivon Curi (foto). Isso mesmo! O irmão de Jorge Curi. O pequeno concurso de vozes era uma pré-seleção para que o vencedor fosse participar do popularíssimo programa de calouros, no A hora  do Pato, no Rio de Janeiro, que na época ainda era apresentado por Paulo Gracindo. Ruth ganhou e na última hora mudou de idéia e desistiu de ir. Quem viajou no lugar foi o Ivon. Ruth recebeu o prêmio, pago em dinheiro que ajudou nas despesas da família. Já Ivon foi para o Rio de Janeiro e se tornou famoso como cantor e ator, em todo o Brasil.

Na próxima postagem publicaremos o 2° capítulo, não percam!
A Rádio Caxambu nos anos de 1960.
Dalva Monteiro, a princesa da Rádio Caxambu.
Fotos: 
Fotos Antigas de Caxambu
Arquivo privado 
Fonte:
O Carioca, por Miguel Curi: Jorge Curi em câmara lenta, 1944
Jornal das Moc mas
Revista do Radio, 1949.
O Jornal, RJ.
A manha, RJ, 1946.
A Noite, 1940-1949, 1950-1959.
Radio Brasileira -  Rodrigues da Cunha, Magda e Boris Fagundes Haussen.
Memoria do Radio. 

3 comentários:

  1. Muito interessante!!! Belíssima pesquisa!
    Consultando meu acervo, constatei que o músico e compositor Garoto (Anibal Augusto
    Sardinha), notabilizado por seu virtuosismo nos instrumentos de cordas e por suas composições como "Duas Contas" e "Gente Humilde", esteve por quase três meses em Caxambú, apresentando-se no Hotel Glória, de 15 de janeiro até 31 de março de 1951. Em 11 de março, um domingo, ele fez um programa na Rádio Caxambú, ZYC-2.
    Agradeceria muito de pudessem me informar se há alguma memória dessa passagem de Garoto por Caxambú.
    Atenciosamente,
    Jorge Mello.

    ResponderExcluir